About Alexandre Vieira

Alexandre Vieira desenvolve estudos clínicos e transpessoais. O objetivo é a construção de um equilíbrio maior do ser que somos, através do crescimento como homens e mulheres, por nós mesmos e por todas as nossas relações!

De onde vem a cultura do estupro?

O recente caso de estupro coletivo no Rio de Janeiro (re)acendeu a discussão sobre a cultura do estupro. Mas o que isso significa? São conceitos, ideias, atitudes e “brincadeiras” machistas, mesmo que aparentemente inofensivas, que incentivam a desqualificação das mulheres, tratando-as como objetos de prazer e de subserviência, e que alimentam os casos cada […]

SuperHomem, a ilusão

Um dia vivi a ilusão de que ser homem bastaria
Que o mundo masculino tudo me daria
Do que eu quisesse ter.
(Superhomem, a canção – Gilberto Gil)

Uma das perguntas que nos fazemos nos trabalhos com Homens é “O que é ser homem hoje?”. Uma pergunta aparentemente simples, certo? Você arriscaria respondê-la? O que mais nos interessa […]

Guerreiros são pessoas

Um homem se humilha, se castram seus sonhos
Seu sonho é sua vida e a vida é trabalho
E sem o seu trabalho, o homem não tem honra
E sem a sua honra, se morre, se mata
Não dá pra ser feliz, não dá pra ser feliz.
(Guerreiro Menino – Gonzaguinha)

Como um homem costuma se sentir quando está sem […]

Grupos de homens?!

Muito se fala sobre as dificuldades masculinas, principalmente na questão dos relacionamentos, mas até que ponto queremos de fato fazer alguma coisa para mudar essa situação?

É interessante observar as expressões das pessoas quando digo que venho coordenando grupos de homens. Muitas dessas pessoas, homens e mulheres, torcem o nariz como se isso fosse algo […]

Há mais coisas entre o céu e a terra…

Olá, muito prazer. Meu nome é Alexandre Vieira, sou Psicólogo e fiquei bastante feliz com esse convite para compartilhar com vocês algumas coisas que venho estudando e trabalhando nesses 22 anos de atividades.

Para começar, quero me apresentar um pouco melhor. Quando comecei a faculdade de Psicologia, aos 20 anos de idade, eu era um […]