Se você busca conhecer a verdade sobre Deus, a verdade sobre a vida, a verdade sobre você querendo se instruir, conhecer, aprender ou saber, sempre estará preso ao vazio, pois “a verdade” não é conhecimento, não são instruções, não são regras. Você pode querer vê-la na beleza da terra, do sol, de uma montanha, das ondas do mar ou no perfume das flores. Você pode querer buscá-la na meditação, fazendo sacrifícios, virtudes e devoção.  Você nunca chegará a ela porque a sua motivação está equivocada.  Você quer encontrá-la, não no viver, mas em algum outro lugar.

Se você não estabelecer um relacionamento correto com o outro, o que significa sentir o amor, você não conseguirá nem ao menos ser compassivo, generoso, compartilhando com outro o pouco que você tem e estabelecendo essa maravilhosa ordem da chamada vida no seu cotidiano.

Como amar a verdade sem amar o outro ao seu lado? A verdade não é para ser encontrada em livros, em imagens, em templos. É para ser encontrada na ação, no viver. A real busca pelo desconhecido é o próprio amor, e você não pode buscar pelo irreconhecível fora do relacionamento. Você não pode procurar a realidade em isolamento. A verdade surge somente no encontro entre corações, apenas quando há relacionamento correto entre os seres humanos. Portanto, o amor do homem é a busca da realidade. A troca de um olhar singelo, um toque suave das mãos, um abraço espontâneo amistoso, te levam a expandir o amor de dentro pra fora. A verdade é o amor. A verdade está em cada respiração, em cada lágrima, em cada suspiro, em cada emanação positiva com o outro, e é para ser conhecida de momento a momento. Percebendo a cada instante o desenrolar dos movimentos, dos efeitos energéticos, da expansão do sentimento, não sentindo a ida e a volta do mesmo, mas na conexão, na sintonia, sentindo a presença maior desse amor sendo Uno.

Quando se é desperto para o amor, ele simplesmente “é” e “está” em todo lugar, envolvendo a todos nessa troca infinita, sem caminhos e condicionamentos. O amor é apenas e simplesmente o “caminhar”… Lado a lado nessa experiência que chamamos de “vida”!

Liliane Moura Martins
lmouramm@gmail.com

Comentários

Comentários