“Não importa onde você esteja ou o tamanho da sua dor, eu estou com você e sigo te amando.”

rosa_branca2

Hoje eu te convido para fazer uma viagem pela rosa branca.

A Rosa Alba L. pertence à família Rosaceae e é fácil de achar em feiras e jardins. É uma verdadeira manifestação da divindade através de uma planta. A rosa branca é uma metáfora sobre a busca da autoconsciência: para se chegar ao resplendor da coroa perfumada é preciso atravessar os espinhos. Não é possível alcançar a paz da rosa alva sem entrarmos em contato com a nossas dores e emoções. É o eterno yin e yang.

Lidar com a energia desta flor requer o abandono das aparências e das superficialidades. Ela nos ensina que é preciso o mergulho na escuridão da alma, coragem e abertura para re-significar os espinhos e, assim, viver em plenitude. A medicina que ela nos oferece é amparo, acolhimento e compaixão em quaisquer de nossos percalços e confusões emocionais. Foi por esse conhecimento milenar sobre sua energia acolhedora que ela foi consagrada à Nossa Senhora,  flor mariana das adoradoras de Maria. A frase da rosa é “não importa onde você esteja ou o tamanho da sua dor, eu estou com você e sigo te amando”.

Nota média perfeita dentro da perfumaria alquímica, ela é a flor mestra do coração. Todas as emoções ligadas ao cardíaco como depressão, mágoas, tristezas, medos, baixa autoestima, sensação de abandono e solidão, serão tradadas – com muito amparo – pela rosa branca.

Na medicina popular brasileira é comum tomar o banho de pétalas de rosa branca a fim de limpar “quebrantos”, acalmar a mente e equilibrar as energias após um banho de descarrego com plantas de energias mais vigorosas, como a arruda. É um dos poucos banhos em que se pode lavar a cabeça (na maioria dos banhos de ervas, banha-se apenas do pescoço para baixo). A explicação histórica mais provável, analisando as práticas da medicina popular brasileira, pode vir da liturgia das religiões afrobrasileiras: a rosa branca é uma flor de Oxalá, orixá associado à criação do mundo e, analogamente, sincretizado com o Deus católico. Por isso, a rosa branca participa de todas as obrigações de cabeça dentro dos terreiros. É usada, primeiramente, como lavagem do ori (cabeça), ato preparatório para a feitura.

Como usar

Em uma jarra de vidro ou cerâmica, descanse as pétalas levemente maceradas em água filtrada e tampe a jarra com um tecido limpo e claro. Após um dia, tome o banho com o líquido resultante. Pode-se também colocar as pétalas em água em de cocção.

É fundamental respeitar o estado da água para que a flor não perca suas propriedades, nunca ferva as pétalas da rosa. É possível, também, utilizar essas receitas como chá laxante, calmante, relaxante e auxiliar do sono.

A rosa também transforma a energia do ambiente por ter uma frequência muito alta. É sempre bom enfeitar a casa com elas, principalmente em locais com pouca luz natural.

Aqui estamos falando de uma utilização fácil da rosa branca, de acesso à planta física. Óleo essencial de rosas é um artigo caro e pode ser catártico, já que o mesmo apresenta a vibração de maior intensidade da planta.  A rosa faz com que as emoções venham à tona para que possam ser trabalhadas. Uma vez, por acidente, engoli 1ml de óleo essencial de rosa e chorei por duas semanas. Então é sempre bom lembrar que ela é uma flor, mas que vem curar espinhos. Na aromaterapia clássica ela é antidepressiva e restauradora de autoestima, afasta a melancolia e alegra o coração.

É claro que tudo depende da quantidade que se usa, como se usa e do histórico da sua vida. Mas usando a rosa da feira, em banhos e chás, ela é bem mansinha. Então, Voilà.

E sobre ela ser afrodisíaca… Sim! Afrodite nasceu de uma concha trazida pela espuma de uma onda que virou uma rosa branca. Mas essa história fica para a próxima…

Palmira Margarida

 limpeza espiritual e proteção energética

Comentários

Comentários